• Dra Karolina Frauzino

Como escolher a meia compressiva certa

Atualizado: Out 29



Pensei muito sobre fazer uma publicação de meia compressiva que, ao mesmo tempo não fosse superficial ou enfadonha para vocês. E acabei nessa aqui.


Nessa publicação você vai chegar a duas conclusões:


Primeiro: Escolher a meia de compressão não é algo exato e alguns fatores são levados em consideração pelo angiologista na hora da prescrição


Segundo: Você vai entender por que a meia de compressão é de prescrição médica




De modo geral, para ser bem didática, usamos os seguintes características para a escolha:

  • Grau de compressão: classe 1 ou baixa compressão (18-20mmHg), classe três ou média compressão (20-30mmhg) e classe 4 ou alta compressão (30-40mmHg)

  • Altura da meia: panturrilha (3/4), meia coxa (7/8), meia calça

  • Tipo de tecido da meia: mais elástico ou menos elástico



Grau de compressão da meia elástica

O Grau de compressão é o quanto a meia aperta o tornozelo e os músculos da panturrilha.


A meia elástica médica é feita para ter uma "compressão graduada", ou seja, ela tem sua compressão máxima no tornozelo vai apertando menos e menos até chegar no joelho ou na coxa, dependendo da altura da meia. Isso é necessário para permitir que o sangue suba sem garrotear a perna. Nesse link aqui, eu explico direitinho como a meia elástica funciona.


Os estudos científicos chegaram à conclusão de que, para o objetivo de prevenção de trombose e inchaço nas pernas, a compressão no nível do tornozelo deve ser no mínimo entre 18-20mmhg.

O que tiramos disso? Geralmente pessoas sem nenhuma contraindicação de uso de meia elástica (quer saber quais clique aqui) e sem nenhum problema circulatório devem usar meia compressiva de classe 1 para esse objetivo.


Outros estudos mostram que, para prevenção ou controle de sintomas de doença venosa crônica não complicada ou controle dos sintomas da trombose venosa profunda aguda, a compressão ideal fica entre 20-30mmhg.


Porém, caso haja insuficiência venosa crônica avançada por varizes ou mesmo por trombose venosa prévia, o recomendado é o uso de meia elástica de classe 3, que tem compressão entre 30-40mmhg. Esse grau também é o utilizado em situações após procedimentos, como escleroterapia por espuma.


Altura da meia elástica ou meia compressiva:

A altura da meia elástica ou meia compressiva define até onde vai a compressão.


O objetivo primordial da meia compressiva é o aumento do bombeamento do sangue da circulação de retorno, ou seja, fazer mais sangue voltar ao coração. Para esse objetivo ser alcançado, basta que a meia aperte adequadamente os músculos da panturrilha e tenha compressão graduada. Pensando nisso, uma meia compressiva de altura 3/4 já atinge esse objetivo.


Porém em alguns casos, além desse objetivo acrescentamos outros, como comprimir o trajeto da veia após uma cirurgia ou aplicação com espuma. Nesses casos, optamos por meia elástica ou meia compressiva 7/8.

As meias compressivas tipo meia calça são preferidas para os casos em que a pessoa se sinta mais confortável com esse modelo de meia, como no caso das gestantes.


Tipo de tecido da meia compressiva

Já percebeu que modelos diferentes esticam mais ou menos? Se não percebeu, pegue sua meia agora e observe!


Pois é, isso também é levado em consideração na escolha feita pelo médico.


Basicamente, os tecidos mais elásticos são mais confortáveis para vestir no dia-a-dia e, por isso, são preferidas pelas pessoas que precisam de uso diário prolongado. Também são indicados pelos angiologistas para casos mais simples, de prevenção de doenças.


Porém são os tecidos menos elásticos são os que produzem melhor função compressiva e que têm maior durabilidade e, por isso, são indicados pelos angiologistas nos casos de tratamentos mais complexos.


Essa última informação infelizmente não é fornecida na embalagem da meia, porém os angiologistas costumam conhecer os modelos e, portanto, saber esse detalhe.



Não falei pra vocês? Escolher com segurança a meia compressiva certa é complexo para quem não está acostumado a escolher.

Porém se quer saber qual é a meia indicada para você, procure um angiologista e tire a dúvida.



Dra Karolina Frauzino é médica angiologista em Brasília-DF focada no tratamento de doenças venosas, como trombose e varizes. É Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular e possui Título de Especialista em Cirurgia Vascular pela SBACV/AMB.