• Dra Karolina Frauzino

A sua aplicação dos vasinhos não está funcionando? Entenda


Muitas pacientes chegam no consultório com a mesma queixa: fiz várias sessões de aplicação e não mudou nada!


Vamos entender por que isso acontece?


Antes de ler me responde: o que você vê na foto ao lado? Varizes e vasinhos ou só os vasinhos?



Primeiro: Não tratou a raiz do problema


Na consulta com o angiologista, um dos objetivos do exame físico é verificar se aqueles vasinhos estão conectados com veias nutridoras. Fácil entender o nome dado a essas veias, né?! Essas veias nutridoras são veias doentes, com refluxo, que transferem o refluxo para os microvasos.


E quando não tratamos a raiz do problema, podemos cair em três resultados:

  1. funcionar - se veia nutridora for pequena e a substância esclerosante conseguir lesá-la, conseguiremos tratar os vasinhos. Garantia? Nenhuma.

  2. funcionar, mas "voltar" rápido - manter uma veia nutridora sem tratamento, pode gerar novos vasinhos em pouco tempo naquela região

  3. não funcionar - enxugar gelo, entende? A circulação da veia nutridora "lava" minha substância do vasinho antes de fazer efeito a cada vez que injetamos. Aqui: resultado zero.

Quando você faz várias sessões de escleroterapia sem sucesso, a chance é muito grande de que você está nesse grupo.


E como tratar a veia nutridora? Nesse caso, acrescentar no planejamento do tratamento a microcirurgia, a associação da escleroterapia com o laser transdérmico ou a escleroterapia com espuma podem ajudar a solucionar o problema.



Segundo: Sumiu, mas você não viu


Por essa segunda razão, os angiologistas estão cada vez mais adeptos da documentação fotográfica "antes e depois" para avaliar a evolução do tratamento.


Sabemos que uma sessão naquele vasinho, seja de laser ou de escleroterapia, pode não ser suficiente para tratar destruir completamente aquele vasinho e necessitar de mais de uma sessão naquele local, porém o "zero resposta" não é o resultado que queremos e somente a documentação fotográfica pode nos dar essa resposta.



Terceiro: Escleroterapia não é tudo igual


Hoje temos vários tipos de escleroterapia com o uso de substâncias diferentes que possuem nível de potência diferente e modo ação diferente. Dependendo do tipo de tratamento escolhido, teremos tempo de tratamento diferentes o que significam mais ou menos sessões.


Mas a escolha da substância não é tão simples assim: há tipos de vasinhos que respondem de forma diferente a diferentes substâncias.


O uso combinado de escleroterapia com o laser transdérmico veio para acelerar o tratamento dos vasinhos e, nos casos que ele é indicado, ajuda a reduzir o número de sessões.



Dra Karolina Frauzino é médica cirurgiã vascular em Brasília, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular e dedicada ao tratamento de doenças venosas.

OUTROS CANAIS

-

Quer conhecer um pouco mais de mim? Visite meus outros canais!

©2019 by Dra Karolina Frauzino. Proudly created Design4Doctors

  • whatsapp
  • Preto Ícone YouTube